Da Obra de Djalma Silveira Belieny

CAUSA PARTICULAR

Como causa particular diretamente responsável por "DESVENDANDO MISTÉRIOS". O autor confessa que é de origem divina. Deus lhe entregou graciosamente a chave desvendadora dos mistérios, que assim se resume: através da estrutura topográfica de tal ou qual região ou continente, determinar com exatidão a direção da corrente marítima que por ali passou há milhões de anos passados. No caso em foco um efeito se desvendou no centro da problemática de um planeta, permitindo ao mesmo tempo duas jornadas, uma para o passado remoto, pré-histórico e outra para o futuro muito além dos limites do tempo e espaço permitindo desvendar muitos mistérios até agora ocultos ao conhecimento humano. é verdade que os fatos, a partir dessa causa primeira, não foram delineados por um laboratório científico mas, por uma mente científica. Isso porque não se pode esperar solução para problemas complexos contando apenas com os recursos dos laboratórios.

Mas o que é problema complexo? O que é mente científica? E como a mente atua na solução de tais problemas? Hoje, não é mais novidade para ninguém a declaração de que o ser humano vive em dois mundos, no mundo físico e no espiritual. O que pode causar alguma surpresa é a afirmação de que cada mundo possui as suas próprias ciências e que com as ciências do universo físico que são: matemática, física, química e biologia formam-se os problemas simples que são solucionados pêlos laboratórios científicos; e que com as ciências subjetivas ou espirituais que são: ciências sociais, ciências morais, filosóficas e teológicas formam-se os problemas complexos, podendo neles existir também ciência da esfera material, tais problemas só serão solucionados através da mente científica. O próprio problema aqui é complexo por envolver todas as ciências, todos os cientistas e teólogos. Visto que tanto os que se ocupam com as ciências objetivas como os que se envolvem com as ciências subjetivas, em princípio, todos usam a mente. A diferença surge quanto aos resultados e os meios usados para alcançá-los.

 

O resultado final de um problema composto das ciências do universo físico obrigatoriamente, tem que ser objetivo e usou para isso todos os recursos da esfera material, análises químicas, computadores etc. Também os resultados oriundos da solução de tais problemas estarão apenas dentro da esfera material. Já, os efeitos alcançados pela solução de um problema composto das ciências da esfera espiritual, sem nenhuma dúvida, têm que ser espirituais ou subjetivos. Para alcançá-los também a mente humana tem que contar com todos os recursos espirituais ao seu alcance tem que entrar em sintonia com a Mente Divina que é ao mesmo tempo a mente criadora e mente científica. Na solução de problemas complexos a mente científica através da imaginação, abstração e generalização penetra nas áreas do conhecimento empírico, científico, subjetivo, simbólico, metafísico e teleológico. Alguns desses recursos não estão ao alcance do laboratório e do computador. A mente científica equipada dos recursos mencionados toma como ponto de partida o último efeito de um problema complexo, daí realiza uma jornada retrospectiva dentro do referido problema através de efeitos e causas intermediários (visto que a causa para o último efeito foi ao mesmo tempo efeito de outra causa que foi também efeito da causa anterior) por eliminação, até chegar à causa primeira responsável pelo desencadeamento de toda a problemática, a única chave portanto para desvendar todo o mistério.

 

Assim patenteia-se a nítida diferença entre laboratório científico e mente científica. Quando um problema é composto por várias ciências, entre uma e outra ciência existe uma linha que as separa de tal maneira, que quando esse problema é submetido a um exame de laboratório ele se rompe ao atingir a referida linha, porque a ciência vizinha exigiria outro método ou pertencia a outra esfera. Em tais casos a solução só pode ser alcançada pela mente científica através do método das ciências englobadas. ê bom que se observe que se trata aqui de um novo e revolucionário método que nunca poderia ser usado pela ciência pura, porque ela por sua natureza determinista só pode fazer declarações comprováveis por novas experiências em laboratório. Ao passo que, se existe uma linha na metodologia científica que pode influenciar na separação de ciência para ciência, muito mais respeitável tem que ser a linha que separa as ciências do mundo físico das ciências do mundo espiritual, o que se constitui em obstáculo intransponível para a penetração através dos métodos das ciências materiais, nas áreas do universo espiritual. Tal universo tem o seu ponto de origem na dinâmica subjetiva dos impulsos que regem as ciências sociais e daí prossegue numa ordem crescente através das ciências morais, filosóficas e teológicas, formando o mundo dos fenômenos subjetivos, campo de ação exclusivo da mente humana em sintonia com a mente divina. Portanto, da mesma maneira que a ciência do universo material para comprovar suas declarações apela para a repetição do fenômeno científico; também a ciência do universo espiritual confia o exame e aprovação de suas declarações ao exercício livre e espontâneo da razão individual e coletiva.

 

Pelo exposto já se observa que esse novo método caracterizasse por dois aspectos distintos: primeiro pela divisão das ciências das duas esferas, material e espiritual; segundo, quando se pretende encontrar solução para um problema complexo, pelo englobamento de todas as ciências que estiverem envolvidas no referido problema.

 

Djalma Silveira Belieny

 

© 2010 Todos os direitos reservados.

Crie um site gratuitoWebnode